Raquete da linha “CARBON ATTK”,da marca ADIDAS, na sua versão 1.8. Composta por fibra de carbono 3K e um núcleo de goma EVA HIGH MEMORY, uma goma de média densidade. Tem um formato diamante. Conta com uma superfície lisa com acabamento brilhante na face e mate na restante estrutura.

CARACTERÍSTICAS DA RAQUETE:

PRIMEIRAS IMPRESSÕES:

Ao pegar nela pela primeira vez fica-se com a sensação de uma raquete potente, robusta e algo “cabeçuda”. O balanço está direccionado para a cabeça e nota-se mais do que na ADIPOWER ATTK 1.8.

Ao colocar-se os overgrips, conseguirá optimizar ligeiramente o balanço em direcção ao punho. Se não conseguir colocar mais do que 1 overgrip a opção recai também por colocar fitas de tungsténio por baixo do(s) overgrip(s) para baixar o balanço da raquete. Pelo contrário se quiser ainda adicionar mais potência, coloque as fitas no topo da raquete por baixo ou por cima do protector. Esta é uma opção bastante viável para quando se gosta muito de todas as outras características de uma raquete, menos do seu balanço. No caso desta raquete de ADN ofensivo não me faz sentido colocar peso nos grips nem baixar o seu balanço.

LINHAS GERAIS:

Em jogo é uma raquete com um toque médio. Apresenta um sweet spot reduzido, alto, em linhas com raquetes deste formato. Em termos de potência está lá toda e ao seu dispôr para disparar e “atemorizar” os seus adversários. Tem uma saída média.

NA REDE:

Na rede, tudo lhe irá sair com bastante potência e profundidade sem grande esforço. Convém contudo compensar alguma falta de manuseabilidade por força do seu balanço alto.

NO FUNDO DO COURT:

O controlo de fundo do court é aceitável para uma raquete de potência. A saída acima da média neste tipo de raquetes irá ajudá-lo. Vai notar a falta de manuseabilidade, mas é normal para quem opta por este tipo de formato. Os lobs saem profundos com uma pancada completa e tecnicamente correcta e preferencialmente ao atingir o sweet spot.

PESO:

O peso testado foi o de 361gr.

SUPERFÍCIE:

A superfície é lisa com acabamento brilhante na face e mate no restante da estrutura.

SONORIDADE:

Em termos sonoros é uma raquete que tem uma sonoridade média-alta e com um timbre médio-alto.

CORDÃO DE SEGURANÇA:

O cordão de segurança é simple e não permite ajuste fácil.

DURABILIDADE:

Em termos de durabilidade, parece ser uma raquete sólida, muito bem construída e robusta que não irá quebrar muito facilmente. Bem estimada durará bastante tempo na minha opinião.

PRÓS:

  • Excelente potência
  • Saída acima da média para este formato
  • Visual muito bem conseguido

CONTRAS:

  • Cordão de segurança não ajustável
  • Pouca manuseabilidade

CONCLUSÃO:

Em conclusão, esta é uma raquete para indicada para jogadores agressivos de nível médio até avançado que procurem potência máxima no seu jogo com um toque bem tradicional de uma estrutura totalmente em carbono e com alguma saída. Conta com uma pancada de dureza média e uma saída média.

É uma raquete que lhe vai dar muito prazer nada rede. Em fase defensiva, se conseguir contornar a questão da manuseabilidade, cumpre e a saída média irá ajudá-lo. Volleys e bandejas saem com profundidade e precisão constantes numa pancada tecnicamente correcta. No smash irá brilhar ao atingir o sweet spot e conseguirá sacar por 3, por 4 e trazer a bola de volta de forma consistente e fácil.

A parte visual está muito atractiva na minha opinião.

Senti alguma vibração no braço mas não muita, o seu balanço alto poderá eventualmente também trazer algum desconforto após algum tempo de jogo.

Serve, na minha opinião, jogadores de nível médio-alto de esquerda que façam do jogo agressivo e de rede a sua principal arma.

Uma boa escolha de potência sem dúvida em termos de qualidade/preço. Bons jogos!

POTÊNCIA
CONTROLO
SAÍDA
MANUSEABILIDADE
SWEET SPOT
QUALIDADE/PREÇO

A sua avaliação / Your review

NEWSLETTER

Fique a par das análises mais recentes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*