Raquete da prestigiada marca Tecnifibre, da linha Wall Master 365, a gama imediatamente abaixo da 375. Composta por carbono e um núcleo de goma EVA de alta densidade. Tem um formato híbrido e uma superfície lisa com acabamento mate.


Ao pegar nela pela primeira vez fica-se com a sensação de uma raquete sólida. O balanço está a tender de forma algo surpreendente para a cabeça apesar do seu formato híbrido a tender para o redondo oversize. Ao colocar-se os overgrips, conseguirá optimizar o balanço em direcção ao punho. Pode, adicionalmente, colocar fitas de chumbo ou tungsténio no punho, por baixo dos overgrips se ainda quiser baixar um pouco mais.

Em jogo é uma raquete com um toque duro. Apresenta uma goma de alta densidade, e a construção totalmente em fibras de carbono, quer no marco quer no plano, dá-lhe bastante rigidez. Apresenta um sweet spot médio. Em termos de potência está em linha para uma raquete desta gama média, tem suficiente mas não impressiona. Tem uma saída curta. Na rede bandejas e volleys saem bem direccionados e sem surpresas devido ao seu toque duro e constante. O controlo é positivo no fundo do court, contudo em fase defensiva peca pela curta saída e alguma necessidade extra de manuseabilidade. Os lobs saem bem direccionados mas requerem que se coloque um extra de força para não ficarem curtos.

O peso testado foi o de 365gr.

A superfície é lisa com acabamento mate.

Em termos sonoros é uma raquete que tem uma sonoridade média e com um timbre médio-alto.

O cordão de segurança é ajustável o que é sempre uma boa opção.

Em termos de durabilidade, parece ser uma raquete bastante sólida e bem construída o que leva a querer que poderá ter um largo período de vida útil quando bem estimada.

Prós:

  • Cordão ajustável
  • Excelente relação preço/qualidade

Contras:

  • Falta de potência
  • Balanço alto para este tipo de raquete

Em conclusão, esta é uma raquete para jogadores de um nível iniciado ou médio. Conta com uma pancada dura e constante e saída curta. Em fase defensiva requer boa disponibilidade física por parte do jogador para que as bolas não fiquem curtas. Na rede consegue-se obter alguma potência aliada a boa precisão, o que é OK para uma raquete de uma gama média. Consegue-se com boa técnica e com um braço experiente e forte sacar por 3, por 4 e trazer a bola de volta. Senti ligeira vibração no braço, pela sua estrutura rija em carbono e pela sua goma de alta densidade. Serve jogadores de ambos os lados, em fase de aprendizagem, que queiram uma raquete com toque bastante tradicional e seguro do carbono, um bom compromisso de potência a um preço muito competitivo. Se tiver problemas de cotovelo recomendo 3 overgrips mínimo para melhor absorção da vibração. Uma boa aposta a um preço extremamente convidativo.

POTÊNCIA
CONTROLO
SAÍDA
MANUSEABILIDADE
SWEET SPOT
QUALIDADE/PREÇO

A sua avaliação / Your review

NEWSLETTER

Fique a par das análises mais recentes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*