Raquete da nova linha “Lethal”, da marca VIBOR-A, marca de renome do padel internacional, na sua versão ATTACK 2020. Composta por uma estrutura tubular de carbono 6K, faces em carbono 24k de goma black EVA soft. Tem um formato diamante. Conta com uma superfície lisa e acabamento brilhante. De realçar o sistema de anti-vibração incorporado na estrutura da raquete e um coração reforçado.

CARACTERÍSTICAS DA RAQUETE:

PRIMEIRAS IMPRESSÕES:

Ao pegar nela pela primeira vez fica-se com a sensação de uma raquete bem acabada e imponente. O balanço tende para a cabeça, mas não em demasia, como já é hábito neste formato diamante da marca.

Ao colocar-se os overgrips, conseguirá optimizar ligeiramente o balanço em direcção ao punho. Se não conseguir colocar mais do que 1 overgrip a opção recai também por colocar os pesos incluídos para baixar o balanço da raquete. Pelo contrário se quiser ainda adicionar mais potência, coloque os pesos incluídos no topo da raquete no local indicado no protector. Esta é uma opção bastante viável para quando se gosta muito de todas as outras características de uma raquete, menos do balanço.

LINHAS GERAIS:

Em jogo é uma raquete com um toque médio, que por vezes até parece soft, dado o sistema de anti-vibração incorporado. O sweet spot deste formato, faz lembrar a KING COBRA e é dos mais amplos que temos encontrado em raquetes de formato diamante. No que toca a potência, está muito bem servida e nunca será um ponto problemático nesta raquete. Tem uma saída de bola média, a tender ligeiramente para alta.

NA REDE:

Na rede bandejas e volleys saem com bastante agressividade e profundidade. A manuseabilidade nunca será ideal, mas este formato que já verificámos noutras raquetes, é dos melhores no que toca a este ponto, bem como o sweet spot que é acima da média, apesar de subido. No smash e nas pancadas mais agressivas na rede é onde irá tirar mais partido desta raquete, pelo que não terá muita dificuldade, com a técnica correcta, de sacar por 3, por 4 ou trazer a bola de volta.

NO FUNDO DO COURT:

O controlo de fundo do court é razoável, não compromete, para jogadores experientes, e apesar da manuseabilidade e sweet spot serem generosos para um formato agressivo, não deixa de ser uma raquete técnica. A saída média, ajuda nas bolas mais complicadas, bem como o sweet spot, que é interessante para o formato. Lobs, desde que se atinja o sweet spot, saem com bastante profundidade, por vezes até demais dada a saída.

PESO:

O peso testado foi o de 368gr.

SUPERFÍCIE:

A superfície é lisa com acabamento brilhante.

SONORIDADE:

Em termos sonoros é uma raquete que tem uma sonoridade média e com um timbre médio-baixo, um pouco diferente da norma da marca de sonoridade alta.

CORDÃO DE SEGURANÇA:

O cordão de segurança é simples e não ajustável, um dos poucos pontos que desilude nesta raquete, pois estávamos a espera do tradiconal sistema vibor-a de ajuste confortável.

DURABILIDADE:

Em termos de durabilidade, parece ser uma raquete muito sólida e robusta. Bem cuidada, poderá durar bastante tempo com boa performance.

PRÓS:

  • Bom sweet spot para o formato
  • Boa potência
  • Confortável

CONTRAS:

  • Cordão de segurança não ajustável
  • Preço

CONCLUSÃO:

Em conclusão, esta nova gama da  VIBOR-A, deixa muito boas impressões, especialmente no que diz respeito ao conforto. Mantendo o “veneno” típico da marca, esta versão agressiva torna-se uma opção viável para quem dá mais importância ao conforto, mas quer uma raquete igualmente agressiva. Serve, principalmente, jogadores de esquerda.

Conta com uma pancada média. O sweet spot é positivo para o formato. Em fase defensiva o controlo é razoável. Quem está a iniciar sentirá a dificuldade natural de uma raquete bastante técnica, contudo para jogadores experientes e habituados ao formato, não existirá problema.

O balanço é alto e a manuseabilidade reduzida, contudo, o sweet spot amplo e a saída média, compensam e ajudam a defender. Na rede, não sentirá problemas, sendo que, os volleys e bandejas saem com bastante agressividade e profundidade agressivos com naturalidade. A saída torna-a uma raquete mais permissiva, mas atenção ao vidro. Consegue-se, sem esforço (para jogadores experientes), sacar por 3, por 4 e trazer a bola de volta.

A parte visual está com um design muito atraente, com os tons da malha de carbono em azul metalizado e preto, um acabamento muito brilhante e a típica imagem da serpente da marca.

Para o cotovelo, é uma excelente opção, dado o foco da marca em reduzir ao máximo as vibrações desta raquete.  Apesar disso, o formato diamante, pesa sempre um pouco mais no braço do que os outros e após algum tempo de jogo pode fazer-se sentir.

Uma raquete fantástica por parte da Vibor-a, que caso não tenha problema de liquidez, é uma excelente opção para jogadores a partir de nível médio-alto.

Bons jogos!

POTÊNCIA
CONTROLO
SAÍDA
MANUSEABILIDADE
SWEET SPOT
QUALIDADE/PREÇO

A sua avaliação / Your review

NEWSLETTER

Fique a par das análises mais recentes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*